Andar ideal do apartamento: qual devo escolher para morar?

Escolher o andar ideal do apartamento onde você vai morar nem sempre é uma tarefa possível de ser executada apenas com base no seu bom gosto e na sua sensibilidade. Na maioria dos casos, é preciso levar em conta diversos fatores, como a qualidade de vida dos moradores do imóvel.

Tanto o térreo quanto a cobertura apresentam suas vantagens e desvantagens, por isso, é preciso entender, antes de qualquer outra coisa, como elas influenciam o seu dia a dia e da sua família. Sem esquecer de levar em consideração os recursos disponíveis no prédio, como elevadores e diferenciais na cobertura.

Pensando nisso, preparei este post que ajudará você a entender porque o valor dos apartamentos muda de acordo com os andares, além de apontar o que você deve avaliar antes de tomar a decisão de comprar um imóvel no térreo, na cobertura ou em qualquer outro andar. Continue a leitura e saiba o que você deve considerar!

A comodidade

A primeira coisa que você precisa pensar é na comodidade, porém, não somente na sua, mas também na das pessoas que viverão com você nesse imóvel, ou até mesmo naquelas que aparecerão de vez em quando para uma visita, mas que são importantes na sua vida.

Por exemplo, imagine que você tenha um ente querido cadeirante ou idoso, que mesmo não morando com você faz uma visita sempre que pode. No entanto, o prédio em questão não tem elevador e o apartamento fica no quinto andar. Agora, isso daria certo?

Viu? É muito mais simples do que parece. Imagine que você tem um bebê que ainda usa o carrinho de passeio e que pode faltar luz de vez em quando. Se o edifício não tiver um gerador de emergência para garantir o funcionamento dos elevadores, fica bem fácil decidir o andar ideal do apartamento, se você vai preferir o térreo ou a cobertura, olhando pelo ponto de vista da comodidade.

A vista no andar ideal do apartamento

Agora, se você não tem problemas com as escadas ― mesmo que somente em ocasiões emergenciais ―, pense no fato de chegar em casa no final do dia e se deparar com um belo pôr do sol na janela da sua sala de estar.

Como seria relaxar depois de um dia exaustivo de trabalho olhando para ele? Incrível, não é mesmo? Porém, certamente que, dependendo da posição do sol, isso só será possível nos andares mais altos.

E não é só a vista que importa. Imagine como seria secar roupas ou ter plantinhas em um imóvel onde não bate sol? Ou, ainda, chegar na janela e ter como vista um muro de concreto ou um lixão?

O seu estilo de vida

Lembra da questão elevador versus escada? Ela também interfere muito com o seu estilo de vida e na escolha do andar ideal do apartamento. Em um edifício sem elevador, os andares mais altos para quem é mais sedentário, ou tem problemas de saúde, pode se tornar um problema no dia a dia.

Por outro lado, as coberturas costumam ter diferenciais como piscina, área de lazer e terraço, que nem sempre estão presentes no térreo e fazem muita diferença para quem gosta de esporte ou vida ao ar livre.

O barulho e a ventilação

Por fim, não dá para não pensar na questão da ventilação. Os andares mais altos costumam ser mais arejados, reduzindo o uso de ventiladores e ar-condicionados e, ainda, são mais silenciosos já que estão mais distantes dos ruídos do trânsito e da rua.

Portanto, para quem quer sossego e boa ventilação, o andar ideal do apartamento é o mais alto.

Como você pôde ver, existem vantagens e desvantagens tanto de se morar no térreo quanto na cobertura. Portanto, para decidir o andar ideal do apartamento é preciso levar em conta as suas características e expectativas com o imóvel.

E agora que você já sabe como escolher o andar ideal do apartamento, que tal descobrir mais sobre como escolher o seu primeiro imóvel?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre-se e receba as informações exclusivas desse lançamento no Parque UNA

Arquiteta e Urbanista e Especialista em Arquitetura de Interiores. Atualmente realiza seus trabalhos em Pelotas e em Porto Alegre. Desenvolve seus trabalhos com conhecimento técnico, responsabilidade e dedicação. Mas acredita que a arquitetura vai além do espaço, e que está diretamente ligada às sensações, comportamentos e sentimentos. Onde cabe ao profissional personalizar a essência do usuário e qualificar o espaço. Considera um privilégio fazer parte de cada história e ver cada traço do projeto saindo do papel exatamente da forma que foi planejada por ela!
Arquiteta e Urbanista formada pela Universidade Católica de Pelotas – UCPel, com 7 anos de experiência em Projetos de Interiores, Arquitetônicos e Paisagismo. Hoje, também atua com trabalhos de consultorias e mentoria em arquitetura, laudos técnicos e acompanhamentos de obra. Além disso, é empreendedora e cofundadora do projeto Elo Colaborativo, colunista da Revista Toda Casa e tem forte atuação nas redes sociais com criação de conteúdos para arquitetura.
Formada pela UCPEL em Arquitetura e Urbanismo no ano de 2008 e com especialização em Eng. de Segurança, a arquiteta Lilian Sampaio atua no mercado de Arquitetura Residencial e Comercial com ênfase em Projetos de Interiores, tendo como conceito para seu processo criativo a “Arquitetura Sinestésica”, que busca estimular o inconsciente e o despertar de sensações.
Graduada pela UCPEL, no ano de 2013, iniciou carreira profissional trabalhando com outros Arquitetos, com eles adquiriu muita experiência e aprendizado, estagiou desde cedo, porque acreditava que era através do dia a dia que aprenderia a verdadeira Arquitetura. Em um dos escritórios, o que passou a maior parte da vida acadêmica, foi estagiária e logo após formada foi contratada, dois anos depois foi convidada a ser sócia. No ano de 2017 iniciou sua jornada, colocando sua marca nos Projetos, estando a frente do seu escritório, o EADK (Estúdio de Arquitetura e Design), e assim, vem ganhando cada vez mais espaço. No momento desenvolve projetos de Arquitetura Residencial, Projetos e Design de interiores (residencial e comercial) e reformas, atua na cidade de Pelotas e Santa Vitória do Palmar (cidade Natal).

Joana Rocha é arquiteta e design de interiores. Formada pela Universidade Católica de Pelotas e pós -graduanda pelo Ipog de Porto Alegre. Ama trabalhar com criação e transformação de espaços. No ponto de vista de Joana a arquitetura é capaz de transformar a vida das pessoas, pois ela está presente no cotidiano de todos.  Além disso, acredita que a arquitetura, o  design e a arte, andam de  mãos dadas e são inseparáveis.

Um espaço bem pensado de acordo com o estilo de vida, personalidade dos usuários faz toda a diferença.

Atua em arquitetura de interiores, projeto arquitetônico, paisagismo e regularizações, também trabalha com arquitetura modular.

Há 17 anos formada na UFPEL, começou fazendo um pouco de tudo em um escritório em Poa no ano de 2003, depois trabalhou com Stands e também atuou no mercado de móveis planejados, desde 2013 em Pelotas atua fortemente com projetos comerciais, reforma de interiores e alguns projetos arquitetônicos.

Formou-se na Universidade Católica de Pelotas em 2010. Trabalha nas áreas de arquitetura e execução para arquitetônicos, interiores, paisagismos, decorações, consultorias e regularizações, tanto na área residencial, como na área comercial e institucional. O atendimento diferenciado, personalizado, proporciona a interatividade entre a arquiteta e o cliente, fazendo projetos adequados à necessidade de cada um.

Atua há 15 anos com projeto e execução de ambientes comerciais, residenciais, interiores e paisagismo. Sua formação em Arquitetura e Urbanismo, pela UFPEL, foi complementada por uma especialização em construção civil, pelo NORIE / UFRGS, e posteriormente pelo mestrado em Arquitetura e Urbanismo na área da Percepção Ambiental com foco em habitação e envelhecimento. No seu trabalho desenvolve soluções para as diferentes fases da vida: nascimento, infância, adolescência, fase adulta e envelhecimento. Seu propósito é traduzir os desejos dos clientes em ambientes que valorizem a estética e funcionalidade, mas acima de tudo, que tragam bem estar e representem a personalidade de quem irá usar o lugar.

Andréa Buss Tessaro, paranaense, mora há 15 anos em Pelotas, formada pela Ucpel em fevereiro de 2016 em Arquitetura e Urbanismo, atuando desde então em escritório próprio. Hoje seu escritório é localizado no Parque Una, no container 29. 

Atua em arquitetura de interiores, projeto arquitetônico, paisagismo e regularizações, também trabalha com arquitetura modular.

Arquiteta Tamara Janovik Trabalha nas áreas de arquitetura e execução para projetos arquitetônicos, interiores, paisagismos, consultorias e regularizações. Sua meta é desenvolver projetos exclusivos para cada cliente, proporcionando beleza, conforto e praticidade.